terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Dia Internacional dos Direitos Humanos

10 de dezembro foi o Dia Internacional dos Direitos Humanos. A data foi instituída em 1950 com o objetivo de celebrar e efetivar os preceitos da Declaração Universal do Direitos Humanos, um marco legal regulador das relações entre governos e pessoas. Em seu livro “Ética de cada dia” o saudoso pastor, professor e teólogo Martim C. Warth destaca a magnitude da Declaração da ONU:

“Diante de tantas tentativas de descobrir o verdadeiro conteúdo da lei natural, é de admirar que a ONU tenha conseguido fazer a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Ela põe em xeque os excessos filosóficos e propõem uma administração sensata dos valores éticos humanos. Ela engloba todos os sistemas filosóficos, pois pergunta por uma ética formalista (que se orienta pela motivação) e por uma ética teleológica (que verifica os resultados e suas consequências). Dessa forma, atinge os objetivos do 1º uso da lei: preservar o mundo do caos. Embora os governos não reconheçam explicitamente sua função de agentes de Deus, a adoção da Declaração Universal dos Direitos Humanos faz com que estejam cumprindo sua função de agentes do reino de Deus dentro de suas possibilidades.”

- Martim Carlos Warth (A ética de cada dia. Canoas: Ed. ULBRA, 2002. p. 47)

Martim Carlos Warth (1926-2004) foi pastor das Comunidade Cristo e Comunidade Cruz da Igreja Luterana em Porto Alegre e da extensa paróquia de São Leopoldo (que incluía Esteio, Canoas e Niterói), diretor do Seminário Concórdia e Colégio Concórdia em Porto Alegre, diretor dos cursos de Teologia e Filosofia da ULBRA e membro da CIL (Comissão Interluterana de Literatura) e CEOL (Comissão Editorial Obras de Lutero).

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Comemoração de Nicolau de Mira, Pastor – 6 de dezembro

 

Dos muitos santos comemorados pela Igreja Cristã, Nicolau († 342 d. C.) é um dos mais conhecidos. Historicamente se sabe muito pouco sobre ele, embora houvesse uma igreja de São Nicolau, em Constantinopla, logo no início do século VI. Pesquisas tem afirmado que no século IV havia um bispo com o nome de Nicolau na cidade de Mira, na Lícia (parte da atual Turquia). A partir dessa localização costeira, tradições a respeito de Nicolau viajaram ao longo do tempo e do espaço. Ele é associado com a doação de caridade em muitos países ao redor do mundo e retratado como auxiliador dos marinheiros, protetor das crianças e amigo de pessoas em aflição ou necessidade. O dia 6 de dezembro é o dia de dar e receber presentes em muitas partes da Europa, em comemoração a "Sinterklaas".

ORAÇÃO DO DIA:

Todo-poderoso Deus, que concedeste a teu servo Nicolau de Mira a dádiva perpétua da caridade. Concede à tua Igreja a graça tratar com generosidade e amor as crianças e todos os que estão pobres e aflitos e defender a causa dos que não têm ajudadores, especialmente aqueles abalados pelas tempestades da dúvida e da dor. Pedimos isso por amor daquele que deu a sua vida por nós, teu Filho, nosso Salvador Jesus Cristo, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

Fonte: Treasury of Daily Prayer (St. Louis: Concordia Publishing House, 2008. p. 989)

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Santo André, Apóstolo – 30 de novembro

"Santo André orando antes de seu martírio" (1643), Carlo Dolci (1616–1686)
Cor: Vermelha 

Santo André, irmão de Simão Pedro, nasceu no vilarejo de Betsaida da Galileia. Originalmente um discípulo de São João Batista, André depois se tornou o primeiro dos discípulos de Jesus (João 1.35-40). Seu nome aparece regularmente nos Evangelhos próximo ao topo nas listas dos Doze. Foi ele quem apresentou pela primeira vez o seu irmão Simão a Jesus (João 1.41-42). Ele foi, no verdadeiro sentido, o primeiro missionário em sua casa, assim como o primeiro missionário aos estrangeiros (João 12.20-22). A tradição diz que André foi martirizado através da crucificação em uma cruz em forma de X. Em 357 d.C., o seu corpo teria sido levado para a Igreja dos Santos Apóstolos em Constantinopla e, posteriormente, removido para a catedral de Amalfi, na Itália. Séculos depois André se tornou o santo patrono da Escócia. O Dia de São André determina o início do Ano da Igreja Ocidental, já que o primeiro domingo do Advento é sempre no domingo mais próximo ao dia de Santo André. 

LEITURAS:

Ezequiel 3.16-21
Salmo 139.1-12 (antífona v. 17)
Romanos 10.8b-18
João 1.35-42a

ORAÇÃO DO DIA:

Todo-poderoso Deus, por tua graça, o apóstolo André obedeceu ao chamado de teu Filho para ser um discípulo. Concede-nos também seguir no coração e vida o mesmo Senhor Jesus Cristo, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

Fonte: Treasury of Daily Prayer (St. Louis: Concordia Publishing House, 2008. p. 969)

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Clemente de Roma: O relator da morte de Paulo e Pedro

O texto biográfico abaixo é proveniente do livro "Da nuvem de testemunhas: 33 biografias curtas", de Isolde Mohr Frank, publicado em 2007 pelo Centro de Estudos Bíblicos (CEBI), de São Leopoldo (RS).

Clemente de Roma (010 - 100)

O relator da morte de Paulo e Pedro

Não sabemos nada da juventude de Clemens, na Bíblia chamado de Clemente. Só sabemos que era aluno e, mais tarde, companheiro e colaborador do apóstolo Paulo. O apóstolo fala deste colaborador na carta aos Filipenses (cap. 4.3), escrita quando o apóstolo estava preso: “pois juntas (a Evódia e a Sintique) se esforçaram comigo no Evangelho, também com Clemente e os demais cooperadores meus, cujos nomes se encontram no livro da vida.”

Clemente veio para Roma e vivenciou lá as primeiras perseguições dos cristãos. Viu eles serem queimados como tochas nos jardins do imperador Nero e, certamente, assistiu a morte de Pedro e Paulo, como mártires. Não demorou e ele tinha que cuidar da Igreja em Roma. Era uma época muito difícil e, às escondidas, Clemente assistiu os julgamentos de cristãos. Depois, consolou os condenados e os acompanhou em sua última caminhada. Ele fortaleceu a Comunidade cristã de Roma. Muitos foram condenados, e Clemente deu ordens para que sete homens da Comunidade fizessem relatos sobre estes mártires.

Em 96, chegou a notícia de que, em Corinto, a Comunidade estava prestes a se dividir. A Comunidade de Roma então pediu a Clemente escrever uma carta, insistindo na união dos cristãos. Esta carta ainda existe e, na época, a carta de Clemente, assim como as cartas de Paulo e Pedro, era conhecida na Igreja Cristã. Nela, Clemente também relata o martírio de Pedro e Paulo, em Roma.

Não sabemos com certeza como Clemente continuou o seu trabalho. Muitos cristãos foram condenados a trabalhar nas pedreiras, perto do Mar Negro. É possível que Clemente sofreu esta condenação. Conta-se que ele, depois de um período de trabalho nessas pedreiras, sofreu a morte de mártir, sendo afogado nas águas do Mar Negro.

“Martírio de São Clemente”,Giovanni Antonio Grecolini (1675–1736)

sábado, 18 de novembro de 2017

Oração da Sacristia (de Martinho Lutero)



Ó Senhor Deus, Tu tens me designado para ser bispo e pastor na Tua Igreja. Tu vês o quanto sou incapaz de ocupar este tão grande e difícil ofício. Se não fosse o Teu auxílio, certamente eu teria arruinado tudo há muito tempo. Por isso, eu clamo a Ti.

Com alegria quero dedicar meus lábios e meu coração ao Teu serviço para ensinar a congregação. Eu também desejo sempre aprender e sempre meditar com diligência a Tua Palavra. 

Usa-me como Teu instrumento. Só não me desampares, pois se for deixado só, eu facilmente destruirei tudo. 
Amém.

Fonte: John Doberstein (ed.). A Minister’s Prayer Book. Philadelphia: Fortress Press, 1986. p. 130.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Festa de São Tiago de Jerusalém, Irmão de Jesus e Mártir – 23 de outubro


São Tiago de Jerusalém (ou “Tiago, o Justo”) é referido por São Paulo como “o irmão do Senhor” (Gálatas 1.19). Alguns teólogos modernos acreditam que Tiago era filho de José e Maria e, portanto, um irmão biológico de Jesus. Mas na maior parte da Igreja (historicamente, e ainda hoje), o termo de Paulo “irmão” é entendido como “primo” ou “parente”, e Tiago é tido como o filho de uma irmã de José ou Maria, que ficou viúva e foi morar com eles. Juntamente com outros familiares de nosso Senhor (exceto sua mãe), Tiago não cria em Jesus até sua ressurreição (João 7.3-5; 1 Coríntios 15.7). Depois de se tornar um cristão, Tiago foi elevado a uma posição de liderança dentro da primeira comunidade cristã. Sobretudo após a saída de São Pedro de Jerusalém, Tiago foi reconhecido como o bispo da Igreja naquela cidade santa (Atos 12.17; 15.12 ss.). Segundo o historiador Josefo, Tiago foi martirizado em 62 d. C., sendo apedrejado até a morte pelos saduceus. Tiago foi o autor da Epístola no Novo Testamento que leva o seu nome. Nela, ele exorta seus leitores a permanecerem firmes na única fé verdadeira, mesmo diante de sofrimento e tentação, e viver a vida pela fé que há em Cristo Jesus. Tal fé, ele deixa claro, é uma coisa operante e ativa, que nunca cessa de fazer o bem, confessar o Evangelho com palavras e ações, e arrisca a sua vida, tanto agora como sempre, na cruz.

Cor litúrgica: Vermelha

LEITURAS:

† Atos 15.12-22a
† Salmo 133 (antífona vers. 1)
† Tiago 1.1-12
† Mateus 13.54-58

ORAÇÃO DO DIA:

Pai Celestial, pastor do teu povo, tu levantaste Tiago, o Justo, irmão de nosso Senhor, para liderar e orientar a tua Igreja. Concede que possamos seguir o seu exemplo de oração e reconciliação e sermos fortalecido pelo testemunho de sua morte; através de Jesus Cristo, teu Filho, nosso Senhor, que vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

Fonte: Treasury of Daily Prayer (St. Louis: Concordia Publishing House, 2008. pág. 841-842)

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Festa de São Lucas, Evangelista – 18 de outubro

"São Lucas Evangelista", Melchor Pérez de Holguín (1660 – 1732)

São Lucas, o médico amado, como é chamado por São Paulo (Cl 4.14), nos presenteia com Jesus, cujo sangue provê o remédio da imortalidade. Lucas viajou com Paulo durante a segunda viagem missionária, juntando-se a ele após Paulo receber chamado da Macedônia para levar o Evangelho para a Europa (At 16.10-17). Lucas muito provavelmente ficou em Filipos por sete anos, juntando-se novamente a Paulo no final da terceira viagem missionária na Macedônia. Viajou com Paulo a Trôade, Jerusalém e Cesareia, onde Paulo foi preso por dois anos (At 20.5 – 21.18). Enquanto estava em Cesareia, Lucas pode ter pesquisado o material que ele usou em seu Evangelho. Depois, Lucas acompanhou Paulo em sua viagem a Roma (At 27.1 – 28.16). Especialmente belas no Evangelho de Lucas são as histórias do Bom Samaritano (Lc 10.29-37), do filho pródigo (Lc 15.11-32), do homem rico e Lázaro (Lc 16.19-31), e do fariseu e o cobrador de impostos (Lc 18.9-14). Somente Lucas fornece um relato detalhado do nascimento de Cristo (Lc 2.1-20) e os cânticos de Maria (Lc 1.46-55), de Zacarias (Lc 1.68-79) e de Simeão (Lc 2.29-32). Para mostrar como Cristo continuou seu trabalho na Igreja Primitiva através dos apóstolos, Lucas também escreveu os Atos dos Apóstolos. Mais de um terço do Novo Testamento vem das mãos do evangelista Lucas.

Cor litúrgica: Vermelha

LEITURAS:

† Isaías 35.5-8
† Salmo 147.1-11 (antífona vers. 12)
† 2 Timóteo 4.5-18
† Lucas 10.1-9


ORAÇÃO DO DIA:


Todo-poderoso Deus, nosso Pai, teu bendito Filho chamou o médico Lucas para ser um evangelista e médico da alma. Concede que o remédio curativo do Evangelho e dos Sacramentos possam afastar as doenças de nossas almas para que, com coração voluntário possamos amar e servi-lo; através de Jesus Cristo, teu Filho, nosso Senhor, que vive e reina contigo e com o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre.

Fonte: Treasury of Daily Prayer (St. Louis: Concordia Publishing House, 2008. p. 826)